Perfil

Origem: Brasil.

Temperatura da água: 21 - 24° C

pH: 6.5 - 7.0(6.8)

dH 5-8 (7)

Tamanho Adulto: até 8 centímetros. Os machos são mais coloridos, com nadadeiras mais alongadas, e são um pouco maiores.

Mapa de Barra de São João, Rio de JaneiroCaracterísticas: Reproduzem bem, são atrativos, crescem rápido e se alimentam facilmente com ração. São pacíficos e adaptáveis. Os adultos não discriminam e um grupo pode conviver sem problemas em um aquário pequeno. Nossa linhagem, originária da Barra de São João pode ser um pouco agressiva, ainda que Schell, o das famosas cartas sobre killies, comente as suas estabelecem uma espécie de "hierarquia da matilha" em que os mais fracos terminam por se submeter aos machos maiores.

 

Uma boa escolha para quem inicia com anuais. Podem aguentar temperaturas tão baixas quanto 15° C e não têm problemas com temperaturas altas.

Simpsonichtys whitei

Aquário: tanques com 20 litros podem ser utilizados para um casal. Em aquários maiores podem ser mantidos em grupos. Coloque troncos, raízes, musgo de java para que sirvam de esconderijo. A tampa deve ser bem ajustada, pois saltam.

 

Alimentação: resultados com alimentos vivos, mas aceita ração. Artêmia, tubifex, enquitréias, larva do besouro do amendoim, Daphnia (pulga de água), Drosophilas (mosca da fruta), bloodworm, alimentos congelados.

 

Simpsonichthys Whitei BARRA DE SÃO JOÃOReprodução: Peixes anuais, desovam em substrato. Período de incubação relativamente curto, de 6 a 8 semanas. Os filhotes podem se alimentar de náuplios de artêmia desde o nascimento. Ninhadas podem alcançar as centenas, e nesses casos alguma seleção e culling precisam ser feitos, pois não toleram superpopulação no mesmo ambiente.

.
Simpsonichtys selvagens colocam seus ovos na lama do fundo das poças que habitam, onde estarão protegidos durante o período em que secam. Quando a temporada de chuvas retorna, e as poças ressurgem, meses depois, os ovos vão eclodir. Você pode reproduzir com sucesso esses peixes nos aquários desde que simule a temporada de seca. Terá que dispor de um recipiente plástico e algum substrato, tal como pó ou fibra de coco. O substrato deve ser fervido e enxaguado até que se torne bem limpo. Coloque o substrato dentro do recipiente plástico e o feche com uma tampa. A tampa deve ter um orifício através do qual os peixes alcancem o substrato. Se necessário, coloque uma pedra ou outro elemento que mantenha o recipiente no fundo do aquário. O substrato deve ser trocado a cada duas ou três semanas para que não se desenvolva infestação de bactérias anaeróbicas.

Quando as Nematolebias whitei estiverem em condição de reproduzir, o macho vai escolher um local, com sorte o recipiente montado, e tentar convencer a fêmea a depositar os ovos ali. Ele vai despender bastante tempo sobre o local, enquanto a fêmea passeia pelo aquário, tentando escapar do local. Quando ela estiver pronta, vai nadar próxima ao macho e depositar os ovos no local. Quando os ovos estiverem depositados e fertilizados, é o momento de simular uma seca.

O recipiente será tirado do aquário e o substrato drenado através de uma malha fina ou tecido. Tente remover toda a umidade, pressionando gentilmente o substrato. O substrato deve então ser colocado em um saco plástico transparente. Escolha um local de armazenamento em que a temperatura permaneça praticamente constante: 20-25º C é o ideal. Para os ovos da Nema. whitei, isso é o início da temporada de seca. No caso dos Simpsonichtys whitei eles serão mantidos assim durante 6 a 8 semanas.

Simule o início da estação de chuvas colocando os ovos em um recipiente de eclosão. Quando os ovos estiverem reidratados eles vão começar a se desenvolver e eventualmente eclodir. O recipiente de eclosão não precisa ser fundo mas deve ter uma ampla superfície. Coloque algum remédio contra fungos na água para reduzir o risco de problemas. Quando os filhotes nascerem, pode alimentá-los com náuplios de artêmia.