Introdução

Ovíparos, os filhotes de killies costumam ser relativamente pequenos. Alguns cuidados podem contribuir para que se desenvolvam em toda a potencialidade.

 

Estratégias

Basicamente, há duas estratégias de criação: fixar o aquário, deslocando os pais, ou manter os pais, deslocando o meio de coleta dos ovos. Claro está que ainda existe a forma "natural" de deixar os peixes nascerem junto aos pais, normalmente. Neste caso, é de boa cautela manter apenas um casal, pois que em muitas espécies, ele preservará os ovos e os filhotes pequenos, o que não é garantido se houver, além deles, uma "madrasta".

 

Na primeira hipótese, os pais são mantidos por um período, digamos de 15 dias em um aquário, com plantas e substrato, se for o caso, e depois movidos para um novo aquário. Os filhotes nascem e são criados no primeiro aquário.

 

Na segunda hipótese, os pais são mantidos permanentemente em um mesmo aquário, sendo o substrato ou a bruxinha recolhidos, digamos a cada semana ou quinzena, e depositados em recipientes, com a mesma água do aquário original, adicionada do preparado visto a seguir.

Ovos

Cuidados com os filhotes começam quando ainda são ovos. Os recipientes, quando transferidos, devem ser esterilizados. A água, normalmente é a do aquário dos pais, mas pode ser adicionada de uma gota de antifúngico e algumas gotas de azul de metileno, mais uma pitada de sal (isso depois de consultar um criador experiente, pois determinadas variedades de ovos poderão morrer com esse preparado).

 

Os anuais, que desovam em substrato, modernamente o fazem em pó de coco fervido e enxaguado. Os não anuais, que desovam em plantas, normalmente o fazem em musgo de java ou em bruxinhas de lã acrílica.

 

As alternativas quanto ao tratamento, assepsia, desses meios são muitas. O ideal é consultar o que os criadores da espécie específica costumam fazer.

 

Identificação

Anotar, no vidro do aquário ou no recipiente [etiquetando quando necessário], a data de coleta, a espécie, o aquário de origem... No nosso caso, além disso, caracterizamos cada espécie de não anuais, que desovam em bruxinhas, por uma combinação de cores do flutuador e dos fios. Sem isso, o maior problemas é o de identificar as fêmeas de cada espécie, visto que os machos são normalmente característicos, quando adultos.

 

Belly sliders

Alguns dos killies nascidos podem apresentar um "defeito" na bexiga natatória, denominado rompante [belly slider], cuja tradução literal é de "escorregadores de barriga'. O fenômeno não é restrito aos killies, ocorrendo também em bettas e até guppies. Há diversas teorias quanto às causas determinantes, tais como eclosãp precoce, etc... Também há alguns remédios, tais como colocar um tablet efervescente de oxigênio na água [se conseguir encontrar isso!]. É provável que o fenômeno ocorra, também, na Natureza, onde seus detentores servirão de presas.

 

Desbalanceamento de sexos

Todo criador de killies já enfrentou ninhadas somente de fêmeas, ou somente de machos, ou algo próximo a tais extremos. Pesquisas científicas, com Simpsonichthys, demonstraram que criando pequenos grupos de filhotes em conjunto faz com que uma relação mais equilibrada seja obtida. Criar peixes em duplas, nesse caso, faz com que surjam mais casais.

 

Outras pesquisas e experiências demonstram que, para determinadas espécies, a temperatura, o pH e o total de sólidos dissolvidos na água também exercem influência, embora sejam mais complexos de lidar.

 

Manutenção

Há entendimento geral entre os criadores de que os filhotes recém nascidos devem ser mantidos em recipientes pequenos, dado que não se movimentam muito e é preciso mantê-los próximos do alimento. A desvantagem é a rápida poluição da água, que precisará ser trocada frequentemente, em taxas como de 50% de cada vez.

 

Alimentação

Microvermes e náuplios de artêmia são primeiros alimentos adequados para a maioria dos filhotes de killies.

 

Mas, quando são minúsculos, tais como os de annulatus, será necessário recorrer a organismos ainda menores, tais como os infusorios.

 

Vermes do vinagre também são muito pequenos e apropriados para filhotes menores. O problema é que, para coletá-los de forma prática [há esquemas mais complexos de decantação por exemplo], é necessário dispor de rede própria, pois nem mesmo filtros de café os retêm. As nossas redes são compradas na BettaBrasil, cujo link consta abaixo.

 

Água verde, ou seja, algas monocelulares, podem ser cultivadas adicionando algas obtidas em aquários ou algumas gotas de fertilizante líquido a água velha de algum aquário e deixando o recipiente em algum local ensolarado. Forneça pequenas quantidades do líquido verde aos filhotes.

 

Infusorios, animais unicelulares tais como paramécios, amebas, ou pluricelulares, tais como rotíferos, podem ser obtidos pela internet, em inóculos para serem misturados a água velha de aquário com uma folha de alface amarrotada. Quando a cultura se tornar "enfumaçada" podem ser servidos aos filhotes.

 

Infusão de fermento: dissolva uma porção de fermento de padeiro em água velha de aquário, sirva imediatamente, em pequenas quantidades.

 

Infusão de gema de ovo: ferva um ovo de galinha e remova a gema. Esmague até obter uma consistência fina e, então, misture na água. Sirva pequenas porções do líquido enfumaçado resultante.

 

Ração: é possível encontrar, importada, ração para alevinos "egg layers", com granulágem mínima. Nacional, a Alcon fabrica a Alevinos, que é mais apropriada a filhotes de guppies.

 

À medida em que os filhotes cresçam, é possível retornar à artêmia e aos microvermes. O importante é manter a limpeza do recipiente em que estiverem, sifonanando e trocando a água.

 

Trocas de água

Há dispositivos próprios para troca de água de filhotes, que também podem ser adquiridos na Betta Brasil, por exemplo. Mas é possível improvisar algo com uma mangueira estreita e uma tela de malha fina na ponta. É importante trocar a água para incentivar o crescimento e evitar degradação da qualidade.

 

Seleção

A maioria das ninhadas apresenta alguns indivíduos que se desenvolvem mais rapidamente que os outros. Isso é constante nas de Aplocheilus lineatus, para dar um exemplo. Disparidade de tamanhos pode ensejar ao canibalismo, reduzindo a ninhada a alguns ou a um único sobrevivente. Importante, pois, selecionar os filhotes por tamanha, se houver diferenças expressivas.

 

Culling

Algumas ninhadas apresentam filhotes que são frágeis, pouco saudáveis ou deformados. Na natureza eles sucumbiriam a algum predador. No ambiente artificial de nossos aquários, cabe ao criador eliminá-los. Entre as alternativas mais "humanas", está a de os colocar em água gelada ou fornecê-los, se não estiverem doentes, como alimento a outros espécimens.