Perfil

Origem: África Ocidental e florestas tropicais do Gabão. Habita poças pouco profundas à margem de rios de pouca correnteza em que exista substrato de folhas. Aphyosemion australe gold

Temperatura da água: 21 - 25° C.

pH: 5.5 - 7.0(6.2)

dH 2-10 (4)

Tamanho Adulto: até 6 centímetros. Os machos são mais coloridos, com nadadeiras mais alongadas, e um pouco maiores.

Características: Um pouco tímidos, mas com o tempo, aproximam-se para receber comida. Excepcionalmente belos, coloridos. Podem ser o "primeiro killie" para quem estiver iniciando com eles. Trata-se de uma espécie de fácil manutenção. É o mais difundido entre os aquaristas no mundo inteiro e um dos poucos que possui um nome popular: cauda de lira.

 

Exploram todo o aquário sem preferência por superfície, meio ou fundo. Gostam de aquários plantados, com rochas e raízes. Necessitam de pouca luz direta. Podem ser mantidos em aquários comunitários.

 

Aquário: tanques com 20 litros ou mais podem ser utilizados para um casal. Coloque troncos, raízes, musgo de java (vesicularia dubyana) para que sirvam de esconderijo. Como todos os killies, salta: a tampa deve ser bem ajustada.

Alimentação: Melhores resultados com alimentos vivos: artêmia, tubifex, enquitréias, larva do besouro do amendoim, dafnia (pulga de água), drosophilas (mosca da fruta), bloodworms, alimentos congelados. Aceita ração.

Reprodução: O Aphyosemion australe é um peixe ovíparo de fácil reproduçãoCasal de australes. Melhor se o pH estiver entre 6.2 e 6.8, dureza de 2 a 6 dH e temperatura no intervalo 23-25 ° C. Um macho para cada duas ou três fêmeas.

 

Alternativas para reprodução podem ser vistas aqui.

 

Condicione bem as fêmeas, com alimento vivo preferencialmente, antes de as colocar para reproduzir. Há quem prefira manter as fêmeas separadas, por duas ou três semanas, em condicionamento, somente então as colocando com o macho. Dessa forma, a desova é concentrada e os filhotes terão um desenvolvimento mais homogêneo, facilitando os cuidados. Mas, também é possível manter o casal ou trio reunidos permanentemente, retirando as bruxinhas regularmente, em intervalos de no máximo 10 dias.

 

Não há indicação de que as fêmeas, individualmente, se tornem mais produtivas em casais ou em trios.

 

Os ovos eclodem em 10 a 12 dias e os alevinos atingem a maturidade sexual em aproximadamente 6 meses. Nos primeiros dias se alimentam de infusórios e paramecium; nos demais aceitam microvermes, verme do vinagre, cistos de artêmia sem casca e para um crescimento rápido e saudável é recomendado o uso de náuplios de artemia.

 

Condições ideais: a maioria dos Aphyosemion, Fundulopanchax e Epiplatys sobreviverá em água dura e alcalina. Contudo o seu habitat natural é sobre rochas ígneas e neles a água dissolve poucos minerais, assegurando água mole. Carbonato de cálcio e de magnésio na água, afirmam alguns, fazem com que a membrana dos ovos dos killies endureça antes de serem fertilizados, resultando em muitos ovos estéreis.